segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Quem assistiu ao filme Exterminador do Futuro provavelmente conhece o braço robótico que aparece no filme. Parece que a "Skynet" ficou pra traz, pois uma empresa chamada Bebionic, desenvolveu uma prótese biônica que chega muito próximo ao braço visto no filme.


Nigel foi contratado para fundição de metais preciosos. Cerca de cinco anos, ele se envolveu em um acidente de trabalho com um liquidificador industrial. Isto levou a uma grave lesão por esmagamento do seu antebraço direito. 




quinta-feira, 8 de novembro de 2012


MINDS-i está tentando algo novo com um objetivo final impressionante --- "balançar o mundo da robótica" por liderar uma plataforma de tecnologia que não só é extremamente durável, mas também infinitamente modificável e relevante para o século 21, respirando nova energia e entusiasmo em Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática.  Inventando um sistema totalmente novo de kits para construir robô que são duráveis o suficiente para dar a liberdade de construir qualquer coisa e fazer qualquer coisa que desejam em qualquer cenário.






Alguns Kits da MINDS-I





terça-feira, 7 de agosto de 2012


O preço por comer bem

Ao se tratar do Índice de preços ao consumidor (IPC) no mês de julho, o mesmo apresentou uma variação de 0,22%, gerando uma inflação direta ao consumidor. O setor de maior magnitude para este resultado partiu do grupo dos alimentos, (0, 74% para1, 02 %), neste contexto, vale mencionar o comportamento do item hortaliças e legumes (7,50 % para 18,40 %).
Diante desta notícia, vale refletir: Comer bem está cabendo no bolso dos brasileiros?
O Salário mínimo teve aumento este ano, mas nada adianta se a inflação não contribui para um maior consumo por parte da classe social hierárquica mais desfavorecida, que formam a maioria da nação brasileira.
Existem programas governamentais, como o Programa Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), que se baseia na segurança alimentar e nutricional, e aborda aspectos como abastecimento, oferta, consumo e utilização biológica adequada dos alimentos. Frente a uma política tão importante como esta, é uma lástima não ser respeitada. Os direitos dos brasileiros quase sempre são violados, até mesmo por outras instituições governamentais.
Atualmente, o assunto “alimentação” está cada vez mais exposto na mídia, alimentos como a soja, frutas e legumes diversos estão “na boca do povo”, sem falar dos “óleos poderosos” que auxiliam na redução de peso, dentre outras funcionalidades. São alimentos muito saudáveis e contribui muito para a saúde e o bem estar, mas ainda sim, o que se é comprado para perder peso muitas vezes acaba pesando mais, só que no bolso das famílias brasileiras!
Fazer compras na feira, infelizmente já não é um programa sempre possível para a classe média baixa.  Alimentos “light” e “diet” custam praticamente o triplo dos alimentos sem estas restrições. Até mesmo o “casamento nutricional” perfeito, o tradicional feijão com arroz, já não tem um preço tão acessível.
E a partir deste contexto, vale a reflexão: Será que as gerações futuras vão se alimentar bem? Se o preço de alimentos essenciais para a saúde humana continuarem aumentando de maneira avassaladora, ficará difícil ir contra o famoso “pão com mortadela” ir contra os obstáculos para quem realmente quer ter uma vida alimentar saudável.


Léa Carolina. S Freitas.
Nutricionista.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Casas Ecológicas (EarthShip)

Materiais baratos e 100% ecológica, que tem todos os confortos de uma casa comum, sem estar conectado à rede elétrica, sistema hidráulico, sistema de esgoto ou da rede de gás natural.

Um Earthship é uma casa completamente auto-suficiente que tem uma regulação da temperatura natural, sem o uso de um sistema de aquecimento. O prédio também gera sua própria eletricidade, coleta e filtra a sua própria água potável e limpa a sua própria água de efluentes. A casa está parcialmente enterrado na terra e é construída principalmente com materiais de resíduos; pneus de automóveis, latas de alumínio e garrafas de vidro. Esta abordagem de construção de baixa tecnologia é ecologicamente e economicamente vantajosa.
Earthships são fruto da imaginação do arquitecto norte-americano Michael Reynolds, que primeiro colocou o conceito em prática na década de setenta, durante a primeira crise do petróleo. 
Recentemente, no entanto, essa arquitetura revolucionária está lentamente ganhando credibilidade em outros setores da sociedade.Os preços do petróleo continuam a subir e inquietação em torno do aquecimento global cresce. Além disso, graças a 30 anos de evolução, muitas das falhas iniciais Earthships enfrentados foram resolvidos. 
O carácter autónomo da Earthship não é tão revolucionário como foi há 30 anos. A tecnologia necessária para gerar energia, água do filtro e reciclar as águas residuais para além da infra-estrutura existente tem avançado significativamente. O que faz um Earthship especial e interessante nestes dias é que ela é construída principalmente a partir do lixo e parcialmente enterrados na terra.



Paredes espessas
A casa tem paredes muito grossas, com um diâmetro de cerca de um metro. As paredes não são feitas de concreto ou tijolos, mas a partir de pneus amontoados cobertos com argila. Cada pneu é preenchido com terra e depois socada com uma marreta. Combinado com uma sala de sol no lado sul do edifício (lado norte no hemisfério sul), a construção prevê um aquecimento natural e sistema de arrefecimento.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Mão de três dedos e um atuador


Empresa japonesa de Pesquisa e Desenvolvimento DUPLO desenvolveu uma mão com três dedos robóticos usando um único sensor de pressão e um atuador único. A ligação através do qual os dedos estão ligados à sua montagem automaticamente equaliza a pressão aplicada por cada um.


Fonte:robots.net


Pesquisadores da EPFL , na Suíça, desenvolveram um sistema aéreo que absorve a energia das colisões e retoma o vôo.

Fonte: Robots.net

segunda-feira, 11 de junho de 2012


Ciborgue



Próteses Inteligentes
Mesmo que a perfeita integração entre homem e máquina ainda não tenha sido totalmente alcançada, os membros eletrônicos disponíveis hoje já auxiliam seus usuários de maneira significativa. “Temos pacientes que jogam basquete, tênis, andam de skate, de bicicleta. Ao fazer essas atividades, eles esquecem que estão usando uma prótese”, diz o fisioterapeuta José André Carvalho, diretor do Instituto de Prótese e Órtese (IPO), em Campinas, no interior de São Paulo.
Após dez anos de pesquisas, a C-Leg foi lançada em 1997 e conta com mais de 50 mil usuários ao redor do mundo. O joelho eletrônico procura dar estabilidade total ao paciente na hora de caminhar, além de permitir realizar os movimentos com maior naturalidade.Para isso, o sistema é equipado com dois sensores internos responsáveis por fornecer informações como o ângulo e a velocidade de flexão do joelho. Um software interpreta esses dados e os envia ao micropocessador, que converte comandos para que um pequeno motor ative o sistema hidráulico, permitindo assim o movimento.Um detalhe importante: isso acontece 50 vezes a cada segundo.
Apesar da alta tecnologia empregada, o processo de adaptação do usuário à prótese não é simples. Antes de poder utilizá-la sem restrições, o paciente deve por um período de treinamento, ganhando confiança para voltar a andar. Além disso, o responsável pela instalçação do membro artificial deve registrar algumas informações básicas no micropocessador interno da C-Leg, usando Bluetooth.”Quando o paciente está em treinamento na clínica, verifico seus movimentos usando gráficos e consigo fazer os ajustes necessários no software. Todas essas informações ficam armazenadas na prótese”, diz o fisioterapeuta José André Carvalho.
O usuário da C-Leg também conta com um controle remoto, que pode ser usado para a realização de atividades específicas. Caso queira andar de bicicleta, por exemplo, basta ligar uma função para que o joelho fique”livre”, sem nenhum tipo de travamento do controle hidráulico. Se preferir esquiar, é possível manter o equipamento em um ângulo específico, próprio para a prática da atividade. Apesar de todas essas possibilidades, o membro artificial ainda encontra uma limitação: não é à prova d’água.

Mãos e Ouvidos Biônicos
Buscando explorar cada vez mais recursos, a Otto Bock lançou o Genium, um joelho eletrônico com tecnologia superior à da C-Leg. Já disponível no mercado europeu, o aparelho ainda depende da liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para ser comercializado no Brasil. Thomas Pfleghar, técnico da Otto Bock, explica as inovações da prótese.”O Genium simula como o nosso joelho fisiológico se comporta na hora da marcha.Ele possui cinco sensores que trabalham cem vezes por segundo. Um deles é um giroscópio, que
sabe o ângulo exato em que o membro se encontra”.A prótese, que começou a ser vendida na Europa e nos Estados Unidos em 2011, já conta com cerca de 900 usuários.
Mas a oferta de próteses eletrônicas não fica restrita a joelhos e pernas. A empresa islandesa Össur projetou o Proprio Foot, um pé biônico que busca recriar o funcionamento do tornozelo. Por meio de sensores, o equipamento se adapta ao terreno em que pisa, modificando o funcionamento na hora de subir rampas e escadas, facilitando, assim, a movimentação do usuário.
Para membros superiores, a alta tecnologia fica por conta das próteses de mãos. Desenvolvida pela companhia escocesa Touch Bionics, a i-LIMB revolucionou o mercado ao criar um sistema que permite o funcionamento de todos os dedos do membro artificial, a partir de motores independentes. Além disso, a prótese é capaz de realizar movimentos de rotação do punho e do dedão, possibilitando ao usuário segurar objetos de maneira segura.
A mão eletrônica funciona a partir da transmissão de impulsos nervosos vindos da contração dos músculos existentes na parte não amputada do braço. Captados por sensores instalados na prótese, esses sinais são convertidos em cargas elétricas e levados ao microprocessador do equipamento, permitindo a execução dos movimentos. Com um software instalado em seu computador pessoal, o usuário pode alterar os níveis de sensibilidade e aderência da mão, usando Bluetooth.
Pesquisadpres vêm desenvolvendo também membros artificiais que poderão substituir plenamente órgãos vitais, como coração, rins, pâncreas e bexiga.
Entre as próteses internas mais bem sucedidas está o ouvido biônico. Com um procedimento conhecido como implante coclear, pessoas com surdez parcial ou total são capazes de voltar a receber estímulos sonoros. Desenvolvido desde o início da década de 80, o ouvido biônico funciona a partir de duas unidades, uma externa e outra interna.
A primeira é um processador de som. Captada por um microfone, a frequência sonora é digitalizada e enviada por meio de uma antena FM para a unidade interna. Instalada dentro do ouvido, na região da cóclea, esse dispositivo transforma os dados recebidos em impulsos elétricos, que estimularão o nervo auditivo responsável por levar as informações ao cérebro.
Processado por um software, o som que chega aos ouvidos parece uma voz robótica. Segundo o médico otorrinolaringologista Ricardo Ferreira Bento, coordenador do Grupo de Implante Coclear da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, o procedimento cirúrgico para a colocação da unidade interna é simples.”Um pequeno corte é feito atrás do ouvido para a instalação da unidade interna. A cirurgia demora cerca de uma hora e meia e o paciente sai do hospital no mesmo dia.”

Alto Desempenho
Mesmo com tantos recursos tecnológicos, as próteses biônicas não são a única opção para as pessoas que perderam membros.è o que explica Ian Guedes, diretor do Centro Marian Weiss,
de São Paulo, especializado na reabilitação de amputados.”A prótese mais avançada eletronicamente não é necessariamente a mais indicada.Precisamos sempre pensar quais são as necessidades e a expectativa do paciente”. Um bom exemplo disso são os pés fabricados em fibra de carbono, como os desenvolvidos pela empresa Össur. Chamados Cheetah, são destinados a atletas e funcionam como molas. As próteses absorvem o impacto e devolvem essa energia na forma de impulsão.”Nesse caso, não podemos pensar em sistemas eletrônicos, pois não resistiriam aos choques intensos sofridos com o solo”, diz o fisioterapeuta José André Carvalho.

O Primeiro Ciborgue – como o britânico de 29 anos Neil Harbisson expandiu seus sentidos
Neil Harbisson chama a atenção por si só. O cabelo em formato de tigela, as calças coloridas e o olhar zombeteiro fazem desse britânico de 29 anos uma figura peculiar. Mas é um pequeno despositivo saindo de sua cabeça que o torna único:Harbisson é considerado o primeiro ciborgue do mundo. Ele nasceu com uma doença chamada acromatopsia, que impede de enxergar cores. Mas seu mundo em preto e branco durou até 2004, ano em que densenvolveu o Eyeborg, um dispositivo que permite”escutar” as diferentes tonalidades de cor.
Capturada por uma webcam, a imagem é direcionada a um chip instalado em seu crânio e capaz de analisar a frequência da luz e transformá-las em som. Com as cores transformadas em frequências sonoras, Harbisson conseguiu expandir seus sentidos. Quando cai a um museu ou passeia pelas cidades, naõ só aprecia a beleza visual como também”ouve” as diversas tonalidades de cor presentes nos objetos.
Com seu Eyeborg, Harbisson consegue escanear os padrões de cores das metrópoles. Para ele, Londres é vermelho e amarela. São Paulo, uma mescla entre o azul e o vermelho. Formado em artes visuais, Harbisson fundou a Cyborg Fondation, cujo objetivo é ajudar humanos a se tornarem ciborgues.”A proposta é ampliar seus sentidos”, disse Harbisson.
Experimente perguntar a Harbisson como se sente sendo um ciborgue e a resposta será: ”Fui gradualemente percebendo, ao notar que os componentes cibernéticos passaram a fazer e parte de meus sentidos. Foi estranho, porque não sabia quase nada sobre cibrogues quando comecei o projeto”. No início carregava um computador de 5 quilos com cabos. A grande mudança doi a instalação do chip, que é desenvolvido para que fique cada vez menos.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Projeto Aspirador Robô


Pesquisando na internet como fazer um mapeamento de um ambiente com o NXT, achei um Robô Aspirador. Decidi então fazer um Roomba (nome do robô aspirador). Comecei então construindo o chassi...
Continua...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

SteamPunk


Steampunk é um subgênero da ficção científica, ou ficção especulativa, que ganhou fama no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. Trata-se de obras ambientadas no passado, ou num universo semelhante a uma época anterior da história humana, no qual os paradigmas tecnológicos modernos ocorreram mais cedo do que na História real, mas foram obtidos por meio da ciência já disponível naquela época - como, por exemplo, computadores de madeira e aviões movidos a vapor. É um estilo normalmente associado ao futurista cyberpunk e, assim como este, tem uma base de fãs semelhante, mas distinta.


Existe tambem o Estilo SteamPunk de se vestir, mais poucas pessoas se vestem assim do dia a dia, sendo um estilo para eventos.


Alguns Animes também exploram o tema como: 
Fullmetal Alchemist
Fushigi no umi no Nadia
Future Boy Conan

Sony Rolly


Que tal ter um MP3 Player que dance suas musicas favoritas...
A Sony imaginou isso e criou o Sony Rolly, um MP3 Player que dança conforme a musica e você também pode programar os movimentos.



Expliner Robot by HIBOT


Robô desenvolvido para trabalhar em linhas de alta tensão, sem a necessidade que uma pessoa corra perigo de choque elétrico.
Esse Robô consegue desviar de obstáculos para efetuar a inspeção detalhada nos cabos elétricos.http://www.hibot.co.jp/development.php?lang=jp#no_1


quarta-feira, 11 de abril de 2012


TRIPOD LEGO NXT
by Daniele Benedettelli

Esse é um projeto muito interessante, pois utiliza um controle de PID, para manter os pods em uma posição fixa. Infelizmente o programa original não funcionou no meu NXT.

No video, eu estou testando o estabilizador PID para ver se o tripod se mantem equilibrado...
Postarei mais videos sobre o desenvolvimento do programa em NXT-G

sábado, 17 de março de 2012


A Festo é líder mundial em tecnologia de automação e líder de desempenho em treinamento industrial e programas de ensino.
A Festo se inspira na natureza para desenvolver seus projetos, recriando hábitos comportamentais de seres vivos.
Produtos inovadores
Balonismo
Pesquisa, desenvolvimento, tecnologia
Produção e logística
Design de produtos


quinta-feira, 15 de março de 2012

Arduino


Arduino é uma plataforma open-source de prototipagem eletrônica baseada em hardware e software fácil de usar . É destinado a qualquer pessoa interessada em criar objetos ou ambientes interativos. 

Ele pode sentir o ambiente através da recepção de entrada a partir de uma variedade de sensores e pode afetar os seus arredores por luzes, motores e outros atuadores. O microcontrolador na placa é programado usando a linguagem de programação Arduino (baseada em C/C++ ) http://arduino.cc/en/Main/Software.

Exemplos de projetos:
Links relacionados:

domingo, 11 de março de 2012

IRobot é uma empresa de robótica, tanto doméstica como militares. O Robô mais popular é o Roomba, um robô aspirador de pó.
Considerado por muitos o primeiro robô a chegar ao publico. Veja no vídeo o que esse pequeno robô é capaz de fazer.


Outro Robô de destaque da iROBOT é o iROBOT 110, um robô que se infiltra em ambientes dos mais diversos.

sábado, 10 de março de 2012

Um Mecha, é um Robô de ficção científica para grandes caminhadas, geralmente bípede, ou sobre esteiras e formas de animais. Usado também para batalhas em todos os tipos de terrenos.


Mech Warfare

É uma competição de robótica diferente de qualquer outro visto antes. O objetivo é criar uma real concorrência de combate robótico que espelha os cenários encontrados nos universos Sci-Fi, como Battletech, Warhammer 40k e Armored Core. Esta competição vai colocar os participantes de cada lado, em uma pilotagem personalizada na escala 1/24th com robôs armados com sistemas de armas de Airsoft e armas mais sofisticadas, como foguetes, lança-chamas e sistemas de armas de projéteis de CO2. Pioneira numa nova era de competição de robótica onde a habilidade, estratégia e engenharia desempenham um papel importante no sucesso de cada participante.

Alguns dos Mechas mais vistos

sexta-feira, 9 de março de 2012

Vídeo muito bom
Boston Dynamics é uma empresa de engenharia especializada na construção de robôs dinâmicos e software para simulação...


Vamos esperar para ver o produto final dos experimentos. (http://www.bostondynamics.com/bd_index.html)

quarta-feira, 7 de março de 2012

Bioloid Robotis

Bioloid é um kit de robótica educacional produzido na Coreia pela ROBOTISA plataforma Bioloid consiste de componentes e pequenos, servomecanismo modulares chamados os Dynamixels AX-12A, que podem ser utilizados em uma ligação conjunta para construir robôs de várias configurações, tais como rodas, patas, ou robôs humanoides. O Robô é programado com RoboPlus - software baseado em C/C++. O sistema Bioloid é, portanto, comparável à LEGO Mindstorms e VEXplorer kits. A plataforma está em uso pela Academia Naval dos EUA em seus cursos Engenharia Mecânica, e também é popular na RoboCup competição internacional de robótica.

terça-feira, 6 de março de 2012


Robótica Evolucionária
Robótica Evolutiva é uma nova técnica para a criação automática de robôs autônomos. É inspirado no princípio Darwiniano de reprodução seletiva do mais apto. É uma nova abordagem que olha para robôs autônomos como organismos artificiais que desenvolvem suas próprias habilidades em estreita interação com o meio ambiente sem qualquer intervenção humana. A robótica evolutiva faz uso de ferramentas como redes neurais, algoritmos genéticos, sistemas dinâmicos, e bio-engenharia mórfica. (fonte: http://mitpress.mit.edu/catalog/item/default.asp?ttype=2&tid=3684 )

Imaginem a ficção de O milagre veio do Espaço virando realidade...Pois é, com a Robótica Evolucionária isso será possível.
 A solução de um problema através de algoritmos genéticos utiliza um processo evolucionário (a solução é desenvolvida).
O algoritmo começa com um conjunto de soluções (representadas por cromossomas) chamados população. Soluções de uma população são utilizadas para formar uma nova população. Isto é motivado pela esperança que a nova população será melhor do que a primeira. Soluções que são selecionadas para formar novas gerações de soluções são selecionadas de acordo com sua adequação - quanto melhores, mais chances de reprodução terão.


  1. [Início] Gere uma população aleatória de n cromossomas (soluções adequadas para o problema)
  2. [Adequação] Avalie a adequação f(x) de cada cromossoma x da população
  3. [Nova população] Crie uma nova população repetindo os passos seguintes até que a nova população esteja completa
    1. [Seleção] Selecione de acordo com sua adequação (melhor adequação, mais chances de ser selecionado) dois cromossomas para serem os pais
    2. [Cruzamento] Com a probabilidade de cruzamento cruze os pais para formar a nova geração. Se não realizar cruzamento, a nova geração será uma cópia exata dos pais.
    3. [Mutação] Com a probabilidade de mutação, altere os cromossomas da nova geração nos locus (posição nos cromossomas).
    4. [Aceitação] Coloque a nova descendência na nova população
  4. [Substitua] Utilize a nova população gerada para a próxima rodada do algoritmo
  5. [Teste] Se a condição final foi atingida, pare, e retorne a melhor solução da população atual
  6. [Repita] Vá para o passo 2

segunda-feira, 5 de março de 2012

Como sobreviver à Revolta dos Robôs


Revolução industrial


Ao longo do processo a era da agricultura foi superada, a máquina foi superando o trabalho humano, uma nova relação entre capital e trabalho se impôs, novas relações entre nações se estabeleceram e surgiu o fenômeno da cultura de massa, entre outros eventos.
Estamos prestes a testemunhar uma revolução robótica que será tão marcante como foi a Industrial e Informatica juntas.

 Para os japoneses, os robôs não são apenas ferramentas industriais, eletrodomésticos e brinquedos. Eles são uma parte de sua cultura, valorizados como formas de entretenimento e arte. (KUSAHARA 1998) 

Toyoda Sakichi (1867-1930, fundador da cadeia de empresas Toyota, era um mestre Karakuri, e foi através destes meios que ele desenvolveu métodos engenhosos de reduzir o tempo de inatividade que se tornou a base da linha de produção Toyota.



Podemos ter como exemplo o Robô da Honda chamado de ASIMO. 
A Honda desenvolveu um novo sistema que é uma tecnologia fundamental para a inteligência avançada, que avalia de forma abrangente as entradas de vários sensores que são equivalentes às funções visuais, auditivas, táteis e os sentidos de um ser humano, em seguida, estima a situação do meio ambiente e determina o comportamento correspondente do robô. Com esta tecnologia, ASIMO tornou-se capaz de responder ao movimento de pessoas e as situações ao redor. Por exemplo, o ASIMO irá parar sua ação atual e mudar seu comportamento para acomodar a intenção da outra parte. Além disso, a coordenação entre sensores visuais e auditivos permitem ASIMO, reconhecer as vozes de várias pessoas que estão falando simultaneamente, o que é difícil mesmo para um ser humano a realizar. 

Com esses recursos, o ASIMO dá um passo para a utilização prática em um ambiente onde convive com as pessoas.


Outro exemplo é o professor robô  Engkey,  que ensina inglês e foi criado para substituir os professores estrangeiros.
Kim Mun-sang é diretor do Programa de Robótica do Instituto de Ciência e Tecnologia financiado pelo governo da Coreia, em Seul. Ele explica como o robô funciona. "Nós temos uma tecnologia de percepção", disse Kim. "Podemos detectar o movimento do professor de Inglês. Assim como o professor move sua mão, o robô levanta a mão, se o professor, por exemplo, ri , podemos detectar a expressão de rir. Então o robô pode fazer exatamente como a professora de Inglês faz. " Kim diz que Engkey também tem um modo autônomo, em que ele pode reconhecer a fala Inglês de um aluno e identificar se a  pronúncia esta correta. Kim diz que por causa da forte ênfase da Coréia do Sul na aprendizagem de Inglês, os robôs podem compensar a escassez de professores estrangeiros.

Será que estamos preparados para essa Revolução?
Por enquanto estamos "protegidos" pelo vale da estranheza (é uma hipótese no campo da robótica e da animação 3D que diz que quando réplicas humanas se comportam de forma muito parecida — mas não idêntica — a seres humanos reais, elas provocam repulsa entre observadores humanos. Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Vale_da_estranheza


A melhor saída para uma Revolta dos Robôs seria voltar para a idade da pedra. Então reze para uma tempestade solar acontecer no dia "R".



Os robôs poderão exterminar os seres humanos no futuro?

Cientistas dividem opiniões ao falar da relação homem x máquina. Para alguns, será o fim da humanidade, como conhecemos hoje.
Maquinas dominando humanos. Hoje isso é impossível, mais pode se tornar realidade no futuro. Enquanto muitos pesquisadores da área da ciência da computação discordam sobre o caminho que as máquinas percorrerão, alguns cientistas dizem que a nossa relação com elas provavelmente será harmoniosa, e não assassina - como nos filmes.

Acredito que não precisa ter um QI alto para perceber que a raça Humana esta destruindo o planeta, e que temos vários outros caminhos para que isso não ocorra. Infelizmente o ser Humano é facilmente corruptível, coisa que não acontece com uma maquina que age pela logica.

Robos já superam os Humanos em grandes montadoras de carros e etc...
 
Michael Dyer, um cientista da computação da Universidade da Califórnia, já não vê a relação homem x máquina com bons olhos. Ele acredita que, algum dia, os seres humanos serão substituídos pelas máquinas, e o pior: que essa transição pode não ser nada pacífica.
 
O progresso contínuo na pesquisa de inteligência artificial vai tornar os robôs tão inteligentes quanto nós nos próximos cem anos. "Civilizações avançadas chegarão a um ponto de inteligência suficiente para compreender como o seu cérebro é feito, e então construir versões sintéticas de si mesmas", prevê Dyer. Isso seria causado pelo próprio ser humano através de tentativas biotecnológicas para conseguir a própria imortalidade - e essa oportunidade de "não morrer" pode ser demais para a humanidade suportar.
 
Dyer sugere, por exemplo, que uma nova corrida armamentista do sistema robótico poderia resultar em total descontrole. "No caso da guerra, por definição, o lado inimigo não tem controle dos robôs que estão tentando matá-los". Nesse caso, assim como a Skynet, as armas eletrônicas podem se voltar contra os fabricantes. Ou, em um outro exemplo, uma situação de super dependência dos robôs também pode sair do controle: caso uma fábrica controlada por robôs receba uma ordem (humana) para desligar suas operações, os robôs podem se recusar aos comandos e, assim, desencadear uma guerra.

domingo, 4 de março de 2012


Braço Robótico de Lego NXT
LEGO Mindstorms é uma linha do brinquedo Lego, voltada para a educação tecnológica.
Sou iniciante no mundo da mecatrônica, não entendo quase nada de linguagens de programação e só consegui fazer esse robo, graças a simplicidade do NXT-G programa que acompanha o Lego Mindstorms.


A principio esse robo só teria que achar e pegar o objeto, mais eu "quase" consegui modificando o programa, fazer com que o robo alem de pegar empilhar.